As diferentes opções de contraceção de emergência

As opções atuais de contraceção de emergência são:

  • Inserido no útero, dispositivo intrauterino.
  • Oral, um comprimido.

O DIU que é adequado para a contraceção de emergência (CE) é um DIU de cobre-T

Os DIU são considerados a opção  de contraceção de emergência mais eficaz1, mas podem não ser uma opção prática para muitas mulheres.  A vantagem do DIU é de que proporciona uma solução contraceptiva permanente1. Mas quando a rapidez é um fator crítico,  as mulheres podem  não desejar tomar uma decisão sobre o uso deste método contracetivo reversível de longa  duração.

O DIU de cobre-T pode ser utilizado durante as 120 horas (5 dias) após à relação sexual não protegida2. É de uso restrito pela sua disponibilidade e a necessidade de ser inserido por um profissional médico especialista2.

As mulheres que possam necessitar um DIU de cobre para uma contraceção de emergência devem contactar imediatamente um ginecologista ou uma consulta de  planeamento familiar2. Os farmacêuticos devem encaminhar as mulheres para um centro de saúde ou hospital para a inserção do DIU2.

O DIU de cobre é considerado o método de CE mais eficaz1, mas numa situação onde é necessário agir com muita rapidez, a inserção do DIU leva tempo e implica uma ação invasiva e, por vezes, resulta num procedimento incómodo2.

Existem dois métodos orais de contraceção de emergência disponíveis3

  • Um com levonorgestrel, foi o primeiro disponível, em 1999.
  • Outro com acetato de ulipristal (ellaOne®), lançado em 2009. Ao contrário de outros métodos de contraceção de emergência (CE), foi especificamente desenvolvido para contraceção de emergência.

O mecanismo de ação dos métodos de CE orais é inibir ou atrasar a ovulação,  de modo a que não se liberte nenhum óvulo3,4. Os métodos de CE orais também são denominados por pilula do dia seguinte.

Mecanismo de ação das pílulas do dia seguinte

As pílulas do dia seguinte atuam inibindo ou atrasando a ovulação libertação de um óvulo), de modo a que fertilização não possa ocorrer3,4.

As pílulas do dia seguinte não impedirão a gravidez em 100% dos casos3. Isto acontece porque existe a possibilidade de a mulher já ter ovulado quando toma uma pílula do dia seguinte5. Tomando a pílula do dia seguinte o mais rápido possível após a relação sexual não protegida proporciona a maior probabilidade de sucesso6.

As pílulas do dia seguinte não têm qualquer efeito sobre a fertilização se a ovulação já tiver ocorrido. Não interferem com um óvulo implantado (gravidez)3,4 pelo que não causam aborto6.

As pílulas do dia seguinte são adequadas para mulheres em idade fértil e possuem um bom perfil de segurança4,5. As pílulas do dia seguinte não protegem de infeções sexualmente transmissíveis (IST)6.

 

Considerando que as pílulas do dia seguinte atuam inibindo ou atrasando a ovulação, não são eficazes em 100%. Se a ovulação acaba de ocorrer antes de uma relação sexual não protegida, as pílulas do dia seguinte já não serão eficazes. Portanto, as pílulas do dia  seguinte são soluções de contraceção de emergência, que não substituem um método contracetivo regular.

Referências

1. Cheng L, et al. Cochrane Database Syst Rev 2012; 8:CD001324.

2. Royal Pharmaceutical Society of Great Britain. Practice guidance on the supply of emergency hormonal contraception 2004.

3. Resumo das características do medicamento ellaOne®.

4. Organização Mundial da Saúde (em parceria com o Consórcio Internacional para  contraceção de emergência, Federação Internacional de Ginecologia e Obstetrícia,  Federação Internacional de Planeamento Familiar, Departamento de Saúde Reprodutiva e Investigação). Relação de factos sobre a segurança do levonorgestrel- só como pílulas  contracetivas de emergência. Disponível em: http://whqlibdoc.who.int/hq/2010 /WHO_RHR_HRP_10.06_eng.pdf. Acesso em Janeiro 2014.

5. Faculty of Sexual and Reproductive Healthcare. Guideline on Emergency contraception 2012. Disponível em: http://www.fsrh.org/pdfs/CEUguidanceEmergencyContraception11.pdf. Accessed January 2014.

6. NHS choices – Emergency contraception. Disponível em: http://www.nhs.uk/Conditions/contraception-guide/Pages/emergency-contraception.aspx. Acesso em Janeiro 2014.