Introdução à contraceção de emergência

Definição

A contraceção de emergência (CE) define-se como o uso de qualquer
medicamento ou dispositivo após a relação sexual não protegida para
impedir uma gravidez não planeada1.

Trata-se de uma solução contracetiva ‘após a relação sexual’ ou ‘de proteção’.

Pode denominar-se também como a ‘pilula do dia seguinte’ ou ‘pilula da manhã seguinte’.

Quando se utiliza uma pílula do dia seguinte

A pílula do dia seguinte é mais eficaz quando tomada logo após a RSNP. Proporciona uma segurança importante em casos de relação sexual não protegida ou falha do método contracetivo (tal como pílulas esquecidas, preservativos destruídos) e após uma violação ou de uma relação sexual forçada2.

Como as mulheres podem explicar a sua necessidade da CE

  • O preservativo rasgou-se ou ficou retido.
  • Esquecimento da toma da pílula, inserção do anel vaginal ou de colocação do adesivo.
  • Diafragma ou dispositivo deslocado, fora do seu lugar.
  • Falha no método de remoção.
  • Não se utilizou qualquer método contracetivo.
  • Foi obrigada a uma relação sexual não protegida.

Visão geral do histórico da CE

A ideia da CE não é nova. A investigação sobre contraceção pós-coital início-se nos anos 1920.

página 22

 

Referências

1. Declaração de consenso sobre a contraceção de emergência. Contraceção 1995;  52:211-3.
2. Organização Mundial da Saúde (em parceria com o Consórcio Internacional para  contraceção de emergência, Federação Internacional de Ginecologia e Obstetrícia, Federação Internacional de Planeamento Familiar, Departamento de Saúde Reprodutiva e Investigação). Relação de factos sobre a segurança do levonorgestrel- só como pílulas contracetivas de emergência. Disponível em: http://whqlibdoc.who.int/hq/2010 /WHO_RHR_HRP_10.06_eng.pdf. Acesso em Janeiro 2014.
3. Ellertson C. Fam Plann Perspect 1996; 28(2):44-8.
4. Haspels AA, Andriesse R. Europ J Obstet Reprod Biol 1973; 3/4:113-7.