Mecanismo de ação: ellaOne ® atrasa a ovulação quando é mais importante

A ovulação é o resultado de um aumento da hormona luteinizante (LH).
ellaOne® atrasa a ovulação inibindo ou atrasando o aumento da LH1:

more

Se a mulher ovular no dia seguinte ou dois dias após a relação sexual não protegida, quando o risco de gravidez é mais elevado, apenas ellaOne® pode atrasar a ovulação1. 

trombonebackbottom

Isto é, quando a LH começou a subir, mas ainda não está no seu nível mais elevado. Neste momento, levonorgestrel não impedirá a rutura do folículo, ao passo que  ellaOne® é muito eficaz neste momento1.

Toma após aumento da LH, mas antes de alcançar o seu nível máximo1

Imagen página 34


A toma de ellaOne® após o aumento da LH, possibilita o atraso da ovulação em 79%, enquanto o espermatozoide ainda é viável1.

 


more

Se a mulher ovular três ou mais dias após a relação sexual não protegida, ellaOne® e o levonorgestrel podem atrasar a ovulação1. Contudo, ellaOne® continua a  ser mais eficaz ao impedir a rutura do folículo e, portanto, a possibilidade de impedir uma  gravidez não planeada.

trombonebackbottom

Toma antes do aumento da LH1

página 35


more

Se a mulher já ovulou, ou ovular nas 24 horas imediatas após a relação sexual não protegida, nenhuma pílula do dia seguinte poderá ajudar1.

trombonebackbottom

O nível de LH máximo foi atingido, a ovulação já está a ocorrer ou já ocorreu  e não pode ser parada ou interrompida.

Isto explica porque:

  • A rapidez da toma da pílula do dia seguinte é muito importante.
  • A pílula do dia seguinte não é eficaz em 100%.

Toma após o valor máximo da LH1

página 36

 

 

ellaOne® pode atrasar a ovulação mesmo quando estiver prestes a ocorrer
(quando o risco de fertilização é o mais elevado)1

trombonebackbottom

Caja vertical PT

ellaOne®  é mais eficaz nas primeiras 24 horas2,  que é quando a maioria das
mulheres procura a pílula do dia seguinte3

Referências

 

1. Brache V, et al. Contraception 2013; 88(5):611-8.

 

2. Brache V, et al. Hum Reprod. 2010 Sep; 25(9):2256-63.

 

3. Nappi RE, et al. Contracept Reprod Health Care. 2014 Apr; 19(2):93-101.