Esclarecer os mitos sobre a pílula do dia seguinte

  • Vários estudos demonstraram que facilitar o acesso à pilula do dia seguinte não aumenta o comportamento de risco contracetivo ou sexual1.
  • Estudos demonstram que as mulheres e adolescentes com maior acesso a pilula do dia seguinte não implica que mantenham uma relação sexual não protegida e é mais provavel que adotem um método contracetivo permanente depois do uso da pilula do dia seguinte2,3.
  • O uso das pilulas do dia seguinte não tem qualquer efeito sobre a fertilidade futura1,4.
  • Não existe qualquer indicação de que as pílulas do dia seguinte provoquem malformações num feto em desenvolvimento se são tomadas por erro no início da gravidez1.
  • As pílulas do dia seguinte não interrompem uma gravidez estabelecida1,4.
  • As mulheres devem ler atentamente o folheto informativo1,5.
  • As pílulas do dia seguinte não protegem de infeções sexualmente transmissíveis (IST). Somente os preservativos protegem de IST.
  • As pilulas do dia seguinte não proporcionam uma cobertura contracetiva para uma relação sexual não protegida nos dias que se seguem à toma6.

 

Referências

1. Organização Mundial da Saúde (em parceria com o Consórcio Internacional para  contraceção de emergência, Federação Internacional de Ginecologia e Obstetrícia,  Federação Internacional de Planeamento Familiar, Departamento de Saúde Reprodutiva e Investigação). Relação de factos sobre a segurança do levonorgestrel- só como pílulas contracetivas de emergência. Disponível em: http://whqlibdoc.who.int/hq/2010  /WHO_RHR_HRP_10.06_eng.pdf. Acesso em Janeiro 2014.

2. Polis, et al. The Cochrane Library 2013, Issue 7.

3. Gainer E, et al. Contraception 2003; 68(2):117-24.

4. Resumo das características do medicamento ellaOne®.

5. Nappi RE et al. Eur J Contracept Reprod Health Care. 2014 Apr; 19(2):93-101.

6. NHS choices – Emergency contraception. Disponível em: http://www.nhs.uk/Conditions/contraception-guide/Pages/emergency-contraception.aspx. Acesso em Janeiro 2014.